quarta-feira, 13 de março de 2013

Gigantes de aço

Pegue a essência de “Falcão - O campeão dos campeões”, misture com a ação de Rock Balboa e tempere com tecnologia robótica. Pronto, aí está “Gigantes de aço”, um filme sobre relacionamento paterno em meio a lutas de robôs com todos os clichês dramáticos e caricatos do boxe.
 
Charlie Kenton (Hugh Jackman), um ex-boxeador e controlador de robôs lutadores (perdedores), ganha a guarda do filho após a morte da ex-mulher. O problema é que ele nunca viu o garoto e aceita uma oferta em dinheiro para transferir a guarda da criança para a ex-cunhada. O que Charlie não esperava é que o garoto também é simpatizante das tais lutas e isso pode ser o ponto de partida para um relacionamento melhor entre eles.
 
A ficção, aqui, só fica dentro dos ringues e isso é o destaque que chama a atenção do espectador por algo aparentemente inédito. O resto da trama cai na previsibilidade temática e no convencionalismo de conflitos emocionais e comportamentais, como na aproximação entre pai e filho além, é claro, da moral repetitiva.
 
Entretanto, todo esse ‘lugar comum’ não cai na pieguice e, à medida que as bacanas lutas acontecem, sejam elas rinhas ilegais ou torneios oficiais, o filme torna-se contagiante e se revela um excelente entretenimento familiar. Os bons efeitos visuais e sonoros completam a aventura.
 
Ignore os furos de roteiro e divirta-se sem compromisso!
 
Gigantes de aço (Real Steel)
EUA, 2011 - 127 minutos.
Aventura / Ficção científica
Direção: Shawn Levy
Roteiro: John Gatins, Michael Caton-Jones, Sheldon Turner Elenco: Hugh Jackman, Dakota Goyo, Evangeline Lilly, Anthony Mackie, Kevin Durand.
Cotação: * * *